DR. FRANCISCO DIAS

Linfonodo ou
Gânglio no Pescoço 

Entenda o que são essas glândulas, sua função e quando devemos ficar em alerta sobre doenças relacionadas aos linfonodos.

Tratamentos

O que são linfonodos no pescoço?

Os linfonodos no pescoço são pequenas glândulas, semelhantes ao formato de um caroço de feijão ou ervilha, que estão localizadas ao longo das vias linfáticas no pescoço. Eles são uma parte essencial do sistema linfático e, consequentemente, do sistema imunológico do corpo, atuando na defesa do organismo contra infecções e outras doenças.

Quando devo me preocupar com os linfonodos no pescoço?

É recomendável que o paciente busque avaliação médica urgentemente caso os linfonodos permaneçam aumentados por mais de duas semanas, sem sinais de diminuição, especialmente se houver histórico pessoal ou familiar de câncer

Sintomas

Quais são os principais sintomas de linfonodos aumentados no pescoço?

Os linfonodos aumentados no pescoço podem ser assintomáticos em muitos casos. No entanto, existem alguns sinais de alerta para alterações na região do pescoço, como:

Presença de inchaço ou caroço no pescoço

Febre

Dor ou sensibilidade ao toque

Dificuldade para engolir ou respirar

Perda de peso inexplicada

Fadiga persistente que não melhora com repouso

Suores noturnos excessivos

Infecções recorrentes:
Alterações na textura da pele (vermelhidão, ulceração ou irritação).

Nódulos

E quando surgem os nódulos?

Eles serão sempre malignos? Não.

Os nódulos nos linfonodos no pescoço podem ter causas diversas e serem benignos ou malignos. É importante que o paciente tenha claro que a presença de um nódulo não necessariamente indica câncer, já que existem muitos nódulos nos linfonodos causados por infecções benignas.

Você tem apresentado algum desses sintomas?

Em caso positivo, agende uma consulta para que seja realizada uma avaliação médica.

Tratamentos

Como é feito o diagnóstico de alguma condição nos linfonodos no pescoço?

O diagnóstico de condições nos linfonodos do pescoço envolve uma abordagem abrangente, comumente incluindo:

Infecções Bacterianas ou Virais:

Para este tipo de infecção, podem ser utilizados antibióticos ou antivirais, conforme a prescrição médica.

Câncer

No caso de ser necessário tratamento oncológico, é necessário avaliar primeiramente o tipo específico de câncer. Os cuidados podem incluir cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou terapias-alvo.

Doenças Autoimunes

Nestes casos, medicamentos imunossupressores ou medicamentos modificadores da doença podem ser utilizados para suprimir a resposta imunológica.

Linfoma

Para definir o tratamento para o linfoma, o médico deverá avaliar o tipo e o estágio, podendo prescrever quimioterapia ou radioterapia.

Infecções Fúngicas

Se uma infecção fúngica for identificada como a causa, antifúngicos podem ser prescritos.

Cisto Branquial

O tratamento para o cisto branquial pode envolver a drenagem do cisto ou, em alguns casos, a remoção cirúrgica.

Doença de Kawasaki

Para o tratamento da doença de Kawasaki, pode ser prescrita a imunoglobulina intravenosa e a aspirina.

Tratamentos

Quando é necessária a cirurgia para os linfonodos no pescoço?

A intervenção cirúrgica nos linfonodos do pescoço é recomendada em diversas situações, dependendo da condição subjacente. Alguns dos procedimentos mais indicados são:

Cirurgias

Quais são as expectativas após cirurgia nos linfonodos?

As expectativas após uma cirurgia de linfonodos no pescoço variam conforme a condição subjacente, tipo de cirurgia, estágio da doença e fatores individuais de cada paciente. Sentir desconforto temporário, inchaço e limitação de movimento no pescoço são comuns logo após o procedimento.

Pós cirúrgico

Quais os cuidados que o paciente deve ter no pós-cirúrgico?

Geralmente, o processo de recuperação envolve repouso, cuidados com a incisão, medicamentos e acompanhamento médico.

Os cuidados são essenciais para garantir uma boa cicatrização e minimizar cicatrizes visíveis, assim como o acompanhamento médico é essencial para monitorar a recuperação e ajustar o tratamento caso necessário.

Cirurgias

Quais são as expectativas após cirurgia nos linfonodos?

As expectativas após uma cirurgia de linfonodos no pescoço variam conforme a condição subjacente, tipo de cirurgia, estágio da doença e fatores individuais de cada paciente. Sentir desconforto temporário, inchaço e limitação de movimento no pescoço são comuns logo após o procedimento.

Pós cirúrgico

Quais os cuidados que o paciente deve ter no pós-cirúrgico?

Geralmente, o processo de recuperação envolve repouso, cuidados com a incisão, medicamentos e acompanhamento médico.

Os cuidados são essenciais para garantir uma boa cicatrização e minimizar cicatrizes visíveis, assim como o acompanhamento médico é essencial para monitorar a recuperação e ajustar o tratamento caso necessário.

Dúvidas frequentes

1Qual é a probabilidade de recorrência da minha condição?
Não é possível dizer ao certo, já que as chances de recorrência podem ser influenciadas por diversos fatores, como se a condição é benigna ou maligna, o estágio da doença, os tratamentos realizados e se o paciente apresentou resposta ao tratamento, entre outros.
2Como a condição nos linfonodos afetará minha saúde geral?
Os linfonodos inflamados ou comprometidos podem indicar uma resposta do sistema imunológico a infecções, inflamações ou até mesmo a presença de células cancerígenas no corpo. Portanto, caso não sejam tratados adequadamente, o paciente pode apresentar consequências mais graves como a disseminação da infecção ou câncer e o comprometimento do sistema imunológico como um todo, afetando a saúde geral e a capacidade do corpo de combater doenças e infecções.
3Quais são as opções para gerenciar a dor e desconforto pós-cirúrgicos?
Após a cirurgia nos linfonodos, é preciso que o paciente siga a risca os cuidados indicados pelo cirurgião. Então, fique atento para tomar os medicamentos prescritos para o alívio da dor e inflamação, repousar adequadamente, manter a área cirúrgica limpa e seca e respeitar as restrições impostas. Em alguns casos, compressas frias também podem ajudar a aliviar o desconforto.
4Com que frequência devo ter consultas de acompanhamento?

A frequência do acompanhamento médico após a cirurgia dos linfonodos pode variar dependendo da extensão da cirurgia, da condição de saúde do paciente e de outros fatores específicos do caso.

Nos primeiros dias ou semanas após a cirurgia, o paciente precisará de consultas médicas para avaliar a cicatrização, a resposta ao tratamento e, em alguns casos, para remoção dos pontos. Após esse período, pode ter um intervalo de mais semanas e meses para monitorar a condição.

No entanto, mesmo após a recuperação completa, o paciente deverá fazer consultas de acompanhamento a cada seis meses ou anualmente, para monitorar sua saúde a longo prazo e detectar quaisquer sinais de recorrência ou complicações.

5Existem riscos associados à cirurgia nos linfonodos?
A cirurgia dos linfonodos apresenta riscos como em qualquer procedimento, mas usamos técnicas cirúrgicas avançadas que permitem diminuí-los. Entre os fatores de risco estão a infecção da área, dano aos nervos e vasos sanguíneos, hemorragias e formação de coágulos sanguíneos.

Cirurgia Oncológica | Cirurgia de Cabeça e Pescoço

CRM-SP: 154.295

Conheça o Dr. Francisco Dias

Nascido em Belém, Pará, o Dr. Francisco Dias se mudou em 2012 para São Paulo para fazer a residência médica. Com o tempo, criou uma forte ligação com a cidade e começou a se dedicar ao aprimoramento da formação cirúrgica, especialmente em relação às doenças oncológicas do trato aero digestivo superior, como câncer de boca, laringe, esôfago e transição esôfago gástrica.

Durante sua formação, o Dr. Francisco Dias percebeu a grande dificuldade que os pacientes e seus familiares enfrentam durante o tratamento e isso o inspirou a valorizar um cuidado tecnicamente correto, atualizado e humanizado, com enfoque no paciente e não apenas na doença.

         

CRM-SP: 154.295

Conheça o Dr. Francisco Dias

Nascido em Belém, Pará, o Dr. Francisco Dias se mudou em 2012 para São Paulo para fazer a residência médica. Com o tempo, criou uma forte ligação com a cidade e começou a se dedicar ao aprimoramento da formação cirúrgica, especialmente em relação às doenças oncológicas do trato aero digestivo superior, como câncer de boca, laringe, esôfago e transição esôfago gástrica.

Durante sua formação, o Dr. Francisco Dias percebeu a grande dificuldade que os pacientes e seus familiares enfrentam durante o tratamento e isso o inspirou a valorizar um cuidado tecnicamente correto, atualizado e humanizado, com enfoque no paciente e não apenas na doença.

         

Agende a sua consulta para uma avaliação individualizada.

Me dedico a fornecer o melhor tratamento e apoio possível aos meus pacientes.